4 de mai de 2011

I MOSTRA DE ARTES PLÁSTICAS DA COSTA DO DESCOBRIMENTO.

O dia 09 de maio é considerado o Dia do Artista Plástico, homenagem ao pintor José Ferraz de Alencar Junior, nascido no dia 08 de maio de 1851, na cidade de Itu, estado de São Paulo. Almeida Junior teve uma carreira rica, estudou na Academia Imperial de Belas-Artes, onde foi aluno de Victor Meireles. Obteve, também, formação na Escola Superior de Belas-Artes de Paris e faleceu, tragicamente, no dia 13 de novembro de 1899, em Piracicaba-SP.

Baseado nisso, o Centro de Cultura de Porto Seguro estará realizando a I MOSTRA DE ARTES PLÁSTICAS DA COSTA DO DESCOBRIMENTO. Trata-se de um grupo de artistas plásticos da região que irão expor seus trabalhos entre os dias 9 de maio e 9 de junho de 2011. A mostra coletiva comemora o Dia do Artista Plástico, celebrado em 8 de maio. O coquetel e a abertura comemorativa acontecem no próximo dia 9, às 19h.

As obras se destacam pela variedade de estilos, que vai de formas geométricas a desenhos rupestres. “O visitante terá grande oportunidade de apreciar artes plásticas. É uma raridade conseguir unir obras dos melhores artistas da região em um mesmo lugar”, disse a diretora do Centro de Cultura, Miriam Silva. Entre os artistas participantes estão Elon Cerqueira, Keko Valenzuela, Miranda, Geraldo Casado, Rosa Harllet, Gal Sarmento, Mauro, Helena, Hugo, Bigu, Paulo Roberto Souza, Marisa Zaccura e Ricardo Montagna.

Uma das expositoras é a artista plástica Gal Sarmento, que vive em Arraial d’Ajuda. Com experiência de 20 anos, é especialista em panos, telas, quadros e biombos que retratam desenhos rupestres, simbologia e grafismos indígenas.



Outro artista que compõe a mostra é o carioca radicado em Porto Seguro Elon Cerqueira, que conjuga a harmonia das formas geométricas com cores fortes. Triângulos, círculos, quadrados e losangos dão vida aos quadros dele. Na confecção das obras que denomina “geometria em relevo”, Elon utiliza papelão, tinta e cola sobre Eucatex. “Quando pego os pincéis, fico cerca de seis meses quase em transe, não quero parar até esgotar meu potencial. Depois guardo tudo e fico alguns meses sem mexer em nada”, diz ele sobre o processo criativo.